sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Ternura - Olindo Santana

A ternura que move os meus braços,
e te envolve como se a si se achasse,
na meiguice que encontra em tua alma.

A ternura de um só sentimento,
tão imenso nesse corpo pequeno,
transferido através de um olhar.

A ternura que perde o bom senso,
razoável, porém tão intenso,
que é capaz de loucuras.

A ternura sobre a pele ansiosa,
( minha doce meiguice misteriosa ),
que farás para me saciar?

A ternura que afasta os teus lábios,
para a minha ternura encontrar:

- não nasceu de nenhuma palavra,
mas também é incapaz de calar...

Que dirás afinal à minha alma,
que se encheu de ternura pra somente te dar.

Viverás ainda mais a ternura,
se na minha ternura me deixar te amar!