quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Como não te amar - Olindo Santana

Como não te amar,
se até o silêncio sussurra teu nome.
Se até a minha agonia
me pede você.

Como não te amar,
se as flores do campo
emprestam o teu perfume
e a sombra da lua
me mata de ciúme.

Como não te amar,
se o meu tempo ocupou-se de ti,
e no meu contratempo,
o meu péssimo exemplo,
é não saber sorrir,
e nem mesmo existir,
sem você em mim!