quarta-feira, 21 de maio de 2014

Se... Olindo Santana


O que mais tarde vamos dizer,
da nossa casualidade,
do nosso encontro inesperado,
pros nosso corpos abrasados...
Será que manteremos a certeza
de tudo ou a dúvida de nada.
Se lembraremos das nossas viagens,
nos pensamentos abandonados.
Se continuaremos apaixonados,
ligados ou separados...
Sei lá, nem quero saber!
É tempo de viver,
de aproveitar sem planejar.
De festejar cada momento,
enquanto há sentimento,
enquanto os lábios se desejam.
O futuro depois eu vejo,
você verá,
e saberemos então,
se valeu à pena amar,
ou se nos perdemos sem razão.
Mas, agora não!
Agora, só quero o teu coração,
movido com o meu,
pela mesma canção!