domingo, 24 de novembro de 2013

Prometo - Olindo Santana

Não posso garantir nada a ninguém,
exceto a promessa de querer bem,
de tratar bem,
de cuidar bem,
dentro das minhas possibilidades
e da minhas frágeis limitações.
E prometo ser fiel,
ser solidário,
e procurar ser justo,
porque é isso que eu sei
que posso com certeza fazer.
Prometo valorizar o sorriso sincero
e a palavra branda,
e respeitar o amigo,
como respeito o sol da manhã.
Prometo amar ao meu amor
e dele necessitar,
com a mesma dependência e carência,
que tenho do ar que me alimenta a vida,
e permite meu coração pulsar.
Prometo não medir esforços
para retribuir o que recebo a quem recebo,
ignorando contudo, a maldade,
por que não sou escravo da perversidade,
e jamais permitirei
que "Ela",
me roube a humanidade.
Garanto sim, por regra da exceção,
que meu coração tem portas e janelas,
e que pode passar por elas,
todos os bons sentimentos,
todas as boas emoções,
todos os belos corações,
que dançaremos juntos,
no meu salão da alegria, da felicidade e da poesia,
todas as lindas canções,
fruto das nossas composições,
dos nossos relacionamentos,
e das nossas interações.
Porque me será sempre bem vindo,
todo aquele
que tem o dom de acordar sorrindo.

- Olindo Santana