quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Ah, esse amor - Olindo Santana

Ah, esse belo amor
que me completa a alma,
nascido quase do nada...
em um encontro meramente casual,
veio quando eu mais precisava,
e me retirou do meu próprio mal.

Eram caminhos solitários
que eu trilhava,
quando me estendeste as mãos,
e os meus pés que deslisavam
em meio a solidão,
firmaram-se e se entenderam com o chão.

E nunca mais eu derrapei,
nunca mais eu cai,
a não ser quando me atirei em você;
mergulhando tão desesperadamente,
para o fundo do teu coração.

Lá me revigorei,
lá me reconstruí,
lá eu recomecei,
lá eu estou e quero ficar.

Ah, esse amor
estava de mim tão perto,
mas, o meu coração tão cego,
passava sem te enxergar.

E agora, que morro de amores por ti,
não acredito
que nunca antes te vi...

Ah, esse amor
que me completa a alma,
esperou por tanto tempo,
com tanta calma,
que acredito que sem saber,
a minha alma,
já o amava,
antes de o conhecer,
ou simplesmente aguardava
o momento de eu o merecer.

- Olindo Santana