sábado, 26 de outubro de 2013

Porque Quando... Olindo Santana

Porque não foi a tua ausência que me fez sofrer,
mas, o desapego a mim mesmo.
Porque não foi o teu silêncio que me machucou,
mas, meu abandono aos meus sentimentos.
Porque me despi da minha pureza.
Porque destrocei minhas emoções.
Porque abri mão da minha essência.

Quando me invadiu o rancor,
Quando atirei-me a indiferença,
Quando não ouvi a minha consciência.

Agora sei quem não é alguém que nos faz mal:
- são nossas incoerências,
porque adiciona-se à maldade,
o sentimento ruim,
o lado perverso... descontrolado,
mas, que existe guardado,
no fundo de cada ser.

Cedi ao meu orgulho,
ao meu egoísmo desmascarado,
por uma mágoa que nem valeu à pena.

É tempo de refazer-me,
E que o meu arrependimento,
me sirva de ensinamento.
Porque com certeza, em algum outro momento,
me sentirei novamente sozinho ou desprezado.
Porém que fique o aprendizado:
somente por mim mesmo, poderei ser "mal amado"