domingo, 7 de abril de 2013

Filho - Olindo Santana

Filho:
"Aqueles bilhetes, cartas de amor,
Que ficaram lá pra trás,
Tão distante na lembrança,
Tão presente nas memórias;
Que tanto escrevi,
Que tanto li,
Que tantas saudades me dá,
Essa simpática saudade:
Você não as terá.
O que lamento por você!...
O mundo precisa do sonho,
Da construção da fantasia,
De singelas ilusões
E deliciosas ingenuidades:
É o que nos torna humanos.
Tenho cuidado que te machuques!
São tantos corações de pedra;
Que ao te pregar o amor,
Questiono se estou certo!
Beijos traiçoeiros te esperam,
Braços que te abrigarão
Com tanto conforto e ternura,
Te negará abrigo e calor
Quando tu mais precisares.
Nunca na vida fiquei,
Eu só amei e amei...
Com todo ar preso,
Que em um beijo infinito
Pude desfrutar.
A diferença, pra mim e pra você:
As pessoas buscavam e queriam
Apaixonassem (...)
Filho,
As escolhas serão sempre suas!"