sexta-feira, 28 de junho de 2013

Depois - Olindo Santana

Depois de tanto medo, de tanta agonia,
de tantas incertezas, povoando meus pensamentos,
sem saber ao certo se ela viria...
Se continuariam por mim, vivos, seus sentimentos.
Depois de tantas expectativas e tantos tormentos,
vejo finalmente, aquele sorriso, iluminando o meu dia,
como o sol da minha alma, já a muito não o fazia.

Meu coração, gritando de tanta felicidade,
como se esquecesse, anteriormente a ansiedade,
correu para abraçá-la, com toda a força da saudade,
e todo o impulso a que se permite a mocidade.
- Que bom que estás aqui, minha lágrima feliz!
Encontras em mim todo o bem que sempre te quis,
quando a minha própria vida, já estava por um triz!

Meus lábios em silêncio, devorando-te com o olhar,
tenta conter o desejo, mas precisa louco te beijar.
" E não mais me deixe, não mais se vá...
Veja como a vida em mim, tristemente se desfaz,
quando perdido no tempo, do teu amor eu corro atrás."
Ela me olhar carinhosa...  eu choro de alegria.
E ela apenas sussurra: - Como é boba a tua agonia!